Contos Eróticos Cover Image
Contos Eróticos Profile Picture
1990 Membros

Conto Erótico:

Ensinando Meu Noivinho a Comer Meu Cuzinho de Verdade.

Neste feriado prolongado não sai de casa, pois meu noivo tinha algumas coisas para resolver e não coneguimos viajar. Também não consegui marcar nada com nenhum dos meus amigos (comedores, kkk). Então ficamos só eu e meu noivo em casa. Ela passou o feriado, a sexta e o sábado comigo.
No sábado estava naquela vontade de dar o cuzinho. Então resolvi ensinar meu noivo e comer o meu cúzinho de verdade. Entre no xvideos.com e peguei esse vídeo de exemplo.
Eu: - Olha amor, quando uma mulher gosta de dar o rabinho, vcs precisam enrabar a gente assim, bem no fundinho (com voz de criança)
Ele (Meio assustado): - Você vê sites pornês.
Eu: - Vejo, vc não?
Ele só riu. mas pela cara tenho certeza que deve bater muitas punhetas nesses sites. kkk
Eu: - Vai amooor, me enraba gostoso. Enraba.
Só peguei o KY e mamei um pouco sua piroca. Me coloquei no sofá e pedi: - Vem, vem.
Ele socou até enfiar tudo.
Eu: - Ai mor, ai sim. Agora coloca as pernas em cima do sofá e soca até o talo.
Ele me obedeceu e eu só me siriricava com o meu vibrador amigo.
Não deu outra. antes dele gozar no meu rabo eu gozei gostoso.
Eu: - Aiiiiiiii, aiiiiii, aiiiii, me fode, me fode, me fode, me fooooodeeeee. carralhhhhhooooooo. Adoooooorooo pica no cúuuuuuu.
Ele gozou dentro do meu rabo. Só me sentei e abrindo a bunda sentia a porra escorrendo de dentro do meu cú.
Eu: - Vem ver amor o que vc fez co o meu rabo.
E abrindo ele sentia a porra escorre do rabo e cair no chão.
Ele: - Vc é muito gostosa Yasmim, mas muito.
Assim foi que ensinei meu noivo e me comer de verdade.

http://yasmimputinha.blogspot.com

image

Conto Erótico:

Meu primeiro namorido (e seu irmão pauzudo).

Vou relatar minha primeira experiencia sexual. Estava no 8º ano, tinha 15 anos, mais os peitinhos pequeninos já saltavam ao peito. Tinha um namoradinho chamado Lucas, sempre faziam os trabalhos juntos e nos dávamos muito bem, Ele morava bem perto de casa.

Num determinado dia fui à casa dele pegar o material da aula anterior que não tinha ido, mas não o avisei, quando cheguei lá ele não estava, somente seu irmão Henrique, que me atendeu só de shorts e sem camisa.

Eu: - Cadê o Luquinha. (como o chamava)

Henrique: Tá Não, saiu com a mãe. Foi ao dentista, volta daqui a pouco.

Eu: - Posso entrar.

Henrique: - Pode sim, perai.

No que ele pediu para esperar eu apressada entrei. Rolava um pornozão na TV da sala.

Eu: - Nossa!

Henrique:- Falei para não entrar.

Saiu correndo para desligar a TV.

Eu: - Não desliga não, deixa eu ver.

Ele só parou estático enquanto eu assistia uma mulher sendo enrabada por um negrão. e o seu marido só assistindo do lado. Senti um tesão que desceu a espinha e parou na buceta.

Eu: - Nossa, que pau grande, né?

Henrique: - Posso desligar agora?

Eu: - Posso ver o seu?

Ele ficou meio estranho, mas não resistiu: - Tá.

Ele tirou para fora do short e não era grande não, mas estava gorda de tanta punheta. Fui chegando perto dele e não aguentei. Segurei ela na minha mão.

Henrique: - Gostou.

Eu: - Como vou saber, preciso experimentar.

Henrique: - Toda sua.

Primeira vez que me abaixei de cócoras e comecei a mamar uma rola. Fechei os olhos e engolia ela quase toda, num vai e vem delicioso. Afastei a calcinha para o lado e comecei a me siriricar. O tesão só ia aumentando até que senti a pica dele começar movimentos estranhos e ele gemendo: - Vou gozar.

Ele tentou tirar a pica da minha boca, mas de tesão eu não deixei e só senti a porra quente pela primeira vez na minha boca. Me apaixonei por aquele gosto que nunca mais parei. Engoli tudo e subi.

Eu: - Gostoso, pensei que fosse pior.

Henrique: - Nossa, você chupa bem.

Eu: - Até queria te dar agora, mas quero que o Luquinha me coma primeira, tá.

Henrique: - Tá bom.

Fui tirando tudo da sala e foi para o quarto. Fiquei ali na sala esperando o Luquinha chegar. Ele chegou e eu estava a mil, falei para o Luquinha: - Vem comigo.

Saímos apressado da casa e o levei até um terreno baldio que tinha ao lado da casa dele.

Eu: - Quero que voc~e me coma.

Era tipo umas 8 horas da noite. O terreno estava todo escuro, só a lua nos iluminava.

Lucas: - Aqui.

Eu: - É, onde você pensou que fosse onde, não podemos ir em motel não.

Ele tirou a pica para fora e não era tão grande quanto a do irmão, mas melhor ainda. Minha buceta continuava molhada. Então encostada no muro eu perdi minha virgindade na pica do Lucas.

Mal ele pôs a camisinha (que eu levei) e mete gozou em uns 2 minutos. Eu: - Já.

Tirei a camisinha do pau dele e espremendo a porra na minha mão perguntei: - Só isso?

Lambia a mão e engoli a porra do Lucas, mas estava com gosto de borracha da camisinha. O do Henrique era bem mais gostoso.

Eu: - O do seu irmão estava melhor.

Lucas: - Como assim, você chupou o meu irmão.

Eu: - Sim, agora a pouco, mas você me comeu primeiro

Lucas: - Nossa, você é muito sem vergonha.

Eu: - Precisava experimentar, estava muito com vontade.

Lucas: - Por isso que me deu correndo então.

Eu: - Que isso Lucas, me comeu e ainda reclama. Se soubesse dava para o seu irmão.

Lucas: - Tá bom, tá bom.

Foi para casa meio triste, mas a noite me mandou uma mensagem: - Meu irmão quer te comer também.

Eu: - Tá, os dois juntos, mas pede para ele não ficar batendo punheta porque quero muita porra.

Assim, meio sem querer, totalmente sem amor iniciei minha vida sexual. Mas isso era apenas o preludio.



Até.



Escrito por: Estudanteputinha

image
6 dias atrás - Traduzir

Conto Erótico:

Ménage com nossa empregada.
Por: Marthina

Olá! Sou a Marthina tenho 24 anos, 1m64, 60kg, loira, pele bronzeada, uma cintura fina, bundao guloso, turbinada e coxas grossas... Sou uma tarada, não poupo mais ninguém ultimamente. Nem minha empregada Lidiane. Uma negra gostosa, cheia de curvas com seios fartos, bunda grande e uma buceta gigante. Ela tem 32 anos e trabalha há seis meses pra mim. Sou uma patroa de boas, não tenho noias com uniforme. Disse pra Lidi ficar a vontade... bem, ela ficou. Certa vez, vi nas câmeras do meu apartamento ela batendo uma siririca na área de serviço e se mostrando pró instalador do gás. Vi que ela era safada. Ela trabalha com roupas curtas e bem marcadas. Sempre sem calcinha e sutiã. Um dia vi a buceta dela marcada numa bermuda de malha enquanto ela arrumava a minha cama:
- Nossa, Lidi! Vc é muito sexy. Que popozao. - Disfarcei, não ia falar da xota dela.
- Você acha, patroa?
- Acho! Eu não tenho pudores...
Aquela negra parou de estender os lençóis e virou para mim. Simplesmente baixou o shortinho e eu vi uma xota negra deliciosa.
- nunca vi uma buceta negra... mostra ela todinha pra mim?
- posso me deitar na sua cama?
- deve! - eu mandei
Ela tirou o short e se deitou na minha cama, abriu as pernas e com as mãos puxou os lábios, me dando visão de sua xoxota... que delícia... me enfiei no meio das pernas dela e comecei a sentir o odor daquela gostosa.. com a minha respiração próxima a buceta dela, vi aquela buceta piscar para mim:
- Queria lamber.... mas vocês empregadas agora só pensam em colocar as patroas no pau.
- só vou te processar se você me deixar com tesão e não me chupar gostosinho.
Não pensei duas vezes... me agarrei nas pernas delas e comecei a chupa-la... chupei o grelo dela até ela miar... endureci minha língua e comecei a penetra-la.. sentia ela contrair e segurar minha língua dentro da xota... a essas alturas as tetas daquela negra eu já estava chupando também.. mamava nela com vontade. Quando vi, ela gozo em cima da minha cama. Nós beijamos e ficamos por horas falando de sexo.
Meu padrasto, meu comedor também, estava de passagem no Brasil. Ele tem acesso ao meu apartamento. Como tudo é biométrico não ouvimos ele chegar. Quando ele entrou no meu quarto, jurando me comer, me viu me esfregando na Lidi...
-que que está ocorrendo aqui? Que putaria é esta?
- vem, meu nenezao.. vem aqui fazer amor com nós.. tem duas bucetinhas pra tu chupar
Ele não pensou duas vezes.. Meu padrasto ficou nu em questão de segundos.
Lidi e eu o chupamos até aquela pica gostosa ficar dura... deixei ele comer ela primeiro
-ahhhhh, aiiiii, fode gostoso, me fode toda... come essa bucetinha dessa preta vai - Dizia a Lidi de quatro na cama para meu padrasto enquanto me chupava
- Come essa puta, Jânio! Fode essa buceta e depois vem comer esse cuzinho que tu tanto ama...
Depois de um tempo Jânio veio comer meu cu, eu estava de bruço e ele mandou eu morder o travesseiro... o pau dele é de jumento, apesar de estar cansada de dar meu rabo pra ele, sempre que ele ia meter era uma dor prazerosa.,,
Enquanto ele me comia, eu mamava nos peitões da Lidi . Depois que meu cu foi arrombado, Jânio se deitou e eu fiquei sentada na cara dele, enquanto Lidi pulava na pica dele...
-ai, papai.. Chupa gostoso, chupa.. deixa eu gozar dentro da tua boca.... - Eu falava
-me come, safado.. ahhhh, aiiii, fode.. quer que eu rebole nesse Pinto gostoso? - Dizia a Lidi..
Gozei primeiro e saí da cama. Deixei os dois ainda transando.. fui pra trás da Lidi dar uma lambida e melada no cu dela.. Jânio tinha que comer aquele cu Largo, aquele bundão .. chupei aquele cu, deixamos ele desconcertado... morde aquele bundao negro e mandei o Jânio comer o cu dela.. Ele não teve dúvidas. Entrou com aquela pica monstruosa sem pedir licença
- ahhiiiiii filho da puta, arrebentou meu cu agora... tá doendo... jumento
Ele respondeu dando uns tapões enormes na bunda dela
-cadela, piranha.. vem trabalhar ou servir de puta pra essa vagabunda da minha enteada? Heim.. agora vou te deixar arrombada
Eu tava numa siririca deliciosa, vendo aquela negra se entregar para meu padrasto, casado com minha mamãe.. Quando tava quase gozando Jânio mandou nós ficarmos de joelhos por que a nossa porra gostosa e quentinha ia sair... Ele gozou nas nossas caras... engoli a porra que caiu em mim e na cara da Lidi, depois nos duas nos beijamos com o gosto da porra dele.
Foi surreal aquela tarde... Depois mandei a Lidi terminar de arrumar meu Ap nua, enquanto o Jânio e eu ficávamos brincando um com o outro..foi uma delícia transar com minha empregada, de vez em quando damos uma chupadinhas uma na outra e é gostoso demais ter minha empregadinha sexual.

image

Conto Erótico:

Ménage com nossa empregada.
Por: Marthina

Olá! Sou a Marthina tenho 24 anos, 1m64, 60kg, loira, pele bronzeada, uma cintura fina, bundao guloso, turbinada e coxas grossas... Sou uma tarada, não poupo mais ninguém ultimamente. Nem minha empregada Lidiane. Uma negra gostosa, cheia de curvas com seios fartos, bunda grande e uma buceta gigante. Ela tem 32 anos e trabalha há seis meses pra mim. Sou uma patroa de boas, não tenho noias com uniforme. Disse pra Lidi ficar a vontade... bem, ela ficou. Certa vez, vi nas câmeras do meu apartamento ela batendo uma siririca na área de serviço e se mostrando pró instalador do gás. Vi que ela era safada. Ela trabalha com roupas curtas e bem marcadas. Sempre sem calcinha e sutiã. Um dia vi a buceta dela marcada numa bermuda de malha enquanto ela arrumava a minha cama:
- Nossa, Lidi! Vc é muito sexy. Que popozao. - Disfarcei, não ia falar da xota dela.
- Você acha, patroa?
- Acho! Eu não tenho pudores...
Aquela negra parou de estender os lençóis e virou para mim. Simplesmente baixou o shortinho e eu vi uma xota negra deliciosa.
- nunca vi uma buceta negra... mostra ela todinha pra mim?
- posso me deitar na sua cama?
- deve! - eu mandei
Ela tirou o short e se deitou na minha cama, abriu as pernas e com as mãos puxou os lábios, me dando visão de sua xoxota... que delícia... me enfiei no meio das pernas dela e comecei a sentir o odor daquela gostosa.. com a minha respiração próxima a buceta dela, vi aquela buceta piscar para mim:
- Queria lamber.... mas vocês empregadas agora só pensam em colocar as patroas no pau.
- só vou te processar se você me deixar com tesão e não me chupar gostosinho.
Não pensei duas vezes... me agarrei nas pernas delas e comecei a chupa-la... chupei o grelo dela até ela miar... endureci minha língua e comecei a penetra-la.. sentia ela contrair e segurar minha língua dentro da xota... a essas alturas as tetas daquela negra eu já estava chupando também.. mamava nela com vontade. Quando vi, ela gozo em cima da minha cama. Nós beijamos e ficamos por horas falando de sexo.
Meu padrasto, meu comedor também, estava de passagem no Brasil. Ele tem acesso ao meu apartamento. Como tudo é biométrico não ouvimos ele chegar. Quando ele entrou no meu quarto, jurando me comer, me viu me esfregando na Lidi...
-que que está ocorrendo aqui? Que putaria é esta?
- vem, meu nenezao.. vem aqui fazer amor com nós.. tem duas bucetinhas pra tu chupar
Ele não pensou duas vezes.. Meu padrasto ficou nu em questão de segundos.
Lidi e eu o chupamos até aquela pica gostosa ficar dura... deixei ele comer ela primeiro
-ahhhhh, aiiiii, fode gostoso, me fode toda... come essa bucetinha dessa preta vai - Dizia a Lidi de quatro na cama para meu padrasto enquanto me chupava
- Come essa puta, Jânio! Fode essa buceta e depois vem comer esse cuzinho que tu tanto ama...
Depois de um tempo Jânio veio comer meu cu, eu estava de bruço e ele mandou eu morder o travesseiro... o pau dele é de jumento, apesar de estar cansada de dar meu rabo pra ele, sempre que ele ia meter era uma dor prazerosa.,,
Enquanto ele me comia, eu mamava nos peitões da Lidi . Depois que meu cu foi arrombado, Jânio se deitou e eu fiquei sentada na cara dele, enquanto Lidi pulava na pica dele...
-ai, papai.. Chupa gostoso, chupa.. deixa eu gozar dentro da tua boca.... - Eu falava
-me come, safado.. ahhhh, aiiii, fode.. quer que eu rebole nesse Pinto gostoso? - Dizia a Lidi..
Gozei primeiro e saí da cama. Deixei os dois ainda transando.. fui pra trás da Lidi dar uma lambida e melada no cu dela.. Jânio tinha que comer aquele cu Largo, aquele bundão .. chupei aquele cu, deixamos ele desconcertado... morde aquele bundao negro e mandei o Jânio comer o cu dela.. Ele não teve dúvidas. Entrou com aquela pica monstruosa sem pedir licença
- ahhiiiiii filho da puta, arrebentou meu cu agora... tá doendo... jumento
Ele respondeu dando uns tapões enormes na bunda dela
-cadela, piranha.. vem trabalhar ou servir de puta pra essa vagabunda da minha enteada? Heim.. agora vou te deixar arrombada
Eu tava numa siririca deliciosa, vendo aquela negra se entregar para meu padrasto, casado com minha mamãe.. Quando tava quase gozando Jânio mandou nós ficarmos de joelhos por que a nossa porra gostosa e quentinha ia sair... Ele gozou nas nossas caras... engoli a porra que caiu em mim e na cara da Lidi, depois nos duas nos beijamos com o gosto da porra dele.
Foi surreal aquela tarde... Depois mandei a Lidi terminar de arrumar meu Ap nua, enquanto o Jânio e eu ficávamos brincando um com o outro..foi uma delícia transar com minha empregada, de vez em quando damos uma chupadinhas uma na outra e é gostoso demais ter minha empregadinha sexual.

image

Conto Erótico:

O dia em que minha esposa deu pro negão Jurandir

Bem o que vou relatar para você aconteceu a uns anos atrás, sou casado, minha mulher uma loira, bonita, bronzeada, corpo muito bonito umas pernas lindas, uma bunda maravilhosa, saliente, carnuda, com aquelas marquinhas do biquíni, adora sol, e se exibir com roupas provocantes, saias curtas, shortinhos, curtos, uma delícia, as vezes até brigávamos por estes motivos, eu sentia ciúmes, dela, desde de que casamos ela já era assim, e isso ela me jogava na cara.

Com o passar dos anos ela se formou em professora, conheceu uma amiga a Regina, bem safadinha ela, com o passar dos anos comecei a sentir tesão em ver os homens olhando para ela, e comecei na hora do sexo a falar coisas como chama-la de puta, vagabunda , ficas mostrando esta bunda para outro macho, e senti que ele ficava excitada com isso, e então passamos a ter um maior entendimento e diálogo aberto, em sexo, ela sempre foi bem ativa, adora sexo anal,, oral, faz de tudo, também meu pau e pequeno 14 cm, mais grossinho.

Um final de semana fomos convidados para um churrasco na casa da Regina, muito bom, muita bebida, e nesta festa fomos apresentados a um negrão, feio, mas muito engraçado brincalhão, gente boa mesmo, ficamos logo amigos, começou um bailinho, a meia luz, escurinho, já passava da meia noite, muitos foram embora ficou só alguns, o negrão Jurandir, começou a dançar com a minha mulher, eu comecei perceber que ele a enconchava se esfregava nela, nossa comecei a ficar excitado, eu sei que ficamos até umas duas horas da manhã,, fomos embora no caminho já alcoolizados eu perguntei o Jurandir estava se esfregando para caralho em você, ela disse estava mesmo, estou toda molhadinha, ela me disse sabe o que a Regina me falou que ele tem uma rola enorme, e muito grossa, eu dançando com ele e pensando na rola dura dele me cutucando, nossa ficamos excitado chegamos em casa e transamos falando do Jurandir.

No dia seguinte novamente veio o papo do Jurandir, a gente transando eu perguntei já pensou o Jurandir metendo nesta boceta, você não iria aguentar, ela respondeu como você sabe, eu então disse isso cachorra, vagabunda, quer sem arrombada pelo Jurandir, e ela confirmava, eu perguntava tu teria coragem mesmo, ele confirmava, nossa aquilo me dava um tesão enorme, ela loirinha recebendo uma rola preta, transando com um negrão enorme.

Por coincidência no meio da semana encontrei com o Jurandir no centro da Cidade, ele convidou para tomar uma cerveja, conversamos depois de umas a mais veio o papo da churrascada, ele disse nossa foi muito gostoso, eu então falei é você se esfregou para caralho na minha mulher dançando, ele riu e disse que nada, mulher de amigo meu para mim e homem, eu completei e mesmo você só fode o cuzinho, ele voltou a rir e disse e mesmo e que bunda sua mulher tem, ela curte dar a bundinha, eu disse tanto curte como gosta,, ele disse e mesmo, que delicia, eu completei mais segundo comentários com respeito a sua rola ela não deixaria, não iria aguentar, ele me responde deixa sim, se gosta deixa, eu sou bem carinhoso, a conversa estava tomando outro rumo mais eu tinha que ir embora, e perguntei tem alguma festa no final de semana, ele disse que não, mais disse na Sexta Feira no clube tem um forro, bem legal, eu vou sempre lá., eu perguntei tu vai lá na sexta feira ele disse que sim.

Como a gente sempre saia para beber, saímos eu fui até o clube, não comentei nada com ela sobre o Jurandir,, peguei uma mesa, ela adora batida, mais e fraquinha na bebida, com duas batidas ela já fica alegrinha, eu batizei a batida com fogo paulista, fica mais forte e faz efeito mais rápido, ela começou a querer dançar o Jurandir não chegava, do nosso lado um coroa, mulato, ela vestia uma calça de lycra justa mostrava bem o volume da bunda, um camisão degotado mostrava as poupas do seios que são volumosos, uma sandália salto alto, nossa estava maquiada uma delícia, acabei puxando conversa com o senhor que não tirava os olhos dela, e acabei perguntando se ele dançava ele disse que sim, eu disse quer dançar com ele eu não sei dançar, principalmente forro, ela foi dançar com ele, da mesa eu via ele apertando ela, e vi ele passando a mão na bunda dela, terminou a música ele voltou para a mesa e disse amor nossa o coroa aperta, se esfrega, eu perguntei deu para sentir a rola dele ela disse claro e não deve ser pequena não, nossa já estávamos excitados.

Nisso o Jurandir chegou ela deu uma risadinha, o Jurandir foi buscar umas bebidas, ela me disse você e safado, planejou tudo, depois não reclama, eu disse o que você está falando, o Jurandir, tu acha que aqui longe dos conhecido eu vou aguentar, vou dar mole para o Jurandir, eu disse tem certeza, vai querer mesmo, vai aguentar,, ela respondeu que sim, eu sei que dançaram até umas duas da manhã, resolvemos ir embora o Jurandir estava a pé eu de carro, minha mulher entrou no carro na parte de trás, o Jurandir acabou subindo atrás também, no caminho os dois começaram a se pegar ali mesmo, ele tirou a rola para fora das calças ela caiu de boca chupando, e dizia olha amor e grossa mesmo, mal cabia na boca dela, eu disse vão querer ir a um motel,, o Jurandir disse não vamos até em casa.

Lá ele já foi abraçando ela tirou a roupa dela, começou a chupar sua boceta, ela chupava a rola dele,, ela começou vem Jurandir vem aqui vem, quero sentir esta rola aqui dentro, vem, ele começou a penetrar aquela rola preta cheia de vergalhões, nossa ela gritava, reclamava pedia devagar e o negrão meteu tudo até o saco, nossa ele com ela de papai e mamãe, ´por trás eu só via o saco de fora, ele bombava forte até encher a boceta dela de porra, nossa que delicia, eu não aguentei cai de boca chupando a boceta dela lambendo aquela porra todinha, acabei gozando também, ficamos ali conversando na cama, ele levantou foi tomar banho, ela também,, ele dentro do box, acabou fodendo ela de novo, ali de pé mesmo, mais não gozou pois queria comer o cuzinho dela, voltaram para a cama, ela deitou-se de bruços, com a bunda para cima, ele chupou o cu dela, se ajoelhou na cama em cima da bunda e com um lubrificante lambuzou a rola e o cu dela, e ficou pincelando, ela relaxou ele socou a rola dentro.

Nossa ela deu um grito, pediu tira tira está doendo, ele tirou, eu pensei ela não vai deixar mais, que nada mandou ele passar mais creme, e ele começou de novo, novamente entrou, quase a metade ela queria que ele tirasse, ele então começou a dizer não sua putinha agora vai entrar tudo, você não disse que iria dar a bunda para mim agora eu quero meter até o talo, e enfiou nossa ela chorou xingou ele, mais ela não quis nem saber atolou a rola todinha lá dentro deitou-se sobre o corpo dela, deu um tempinho e ficou num vai e vem frenético nossa eu por trás via aquela rola entrar no cu dela, ela então disse isso seu corno vê o que ele fez com o meu, cuzinho me arrombou todinha, era isso que tu queria né seu corno, ver um macho me arrombar todinha, ele tirou de dentro e me mostrou o buraco, nossa arregaçou mesmo ele gozou outra enxurrada de porra, eu não quis nem saber cai de boca no cuzinho dela, e chupei aquela porra nossa que delicia, ai ela já não aguentava mais fomos embora.

No caminho ela me disse amor estou toda dolorida mais foi muito bom, adorei, obrigado, mas antes de sair da casa do Jurandir pedimos sigilo não comentar nada com a Regina o que havia acontecido, e depois por várias vezes saímos com ele novamente, numa sexta feira estamos para ir lá no forro para ver se encontramos o coroa ver se rola alguma coisa, mais depois eu conto para vocês, agora ela não querer parar e nem eu adorei ser corno e chupar porra, espero que tenham curtido, está e uma história verídica.

Contribuição: Carlos

image
  • Sobre
  • Envie ou poste seu conto erótico :)