em

Na boate (parte 2)

-Mas você precisa esperar, ainda que te ver gozar na minha mão e na minha boca. Vem gostosa goza para mim? Goza na minha mão!

E cada vez com mais vontade ele enfia os dedos entre as minha pernas e aperta com o polegar o meu clitores, meu ventre começa a tremer, minha pernas estão moles, não vou aguentar tanto tempo, ele tira os dedos de dentro de mime sem eu esperar, belisca meu clitores, com vontade e eu gozo na sua mão. Mal recupero o ar ele vira, coloca as minhas maos com as palmas na parede e sussurra no meu ouvido, roçando sua barba no meu pescoço, me deixando mais arrepiada.

– Não quero que você tire as mãos da parede, entendeu?

– aham… – e mordo os lábios. Ele puxa meu cabelo é bem pertinho do meu ouvido fala:

– Diga não tirarei minhas maos da parede senhor?

Suspiro e digo – Nao-o tirarei as mãos da pa parede senhor.

– Boa menina, e dá um tapinha na minha bunda, dou um pulinho pelo susto, e encharco de novo a minha buceta.

Ele começa a desce os dedos pelos meus braços. Chega na minha saia, ele abre o fecho eclair, bem devagar, me tortura, não sei o que sentir, não gosto de ser dominada, mas esse homem não me deixa escolha, e convenhamos eu estou adorando.

Ele abaixa a minha saia, deixa escorrer pela minhas pernas, saio de dentro dela e volto a minha posição. Ele pegue nas minhas pernas e diz:

– abre mais elas para mim, e sem esperar muito ele me invade e começa a me foder com sua língua, e esfregar os dedos no meu clitores, quase caio, mas ele me segura com as mãos, segura firme na minha bunda, me abre toda, me lambe até o anus e me chupa, meu corpo não aguenta tantas sensações.

Ele enfia dois dedos e começa a me socar de novo, e começa a chupar meu clitores, ele não te piedade, segura sua cabeça e percebo que é lisinha, ai que tensão, ele me chupa com mais vontade e com as pontas dos dentes da uma leve mordida e eu não aguento, me desmancho em mais um orgasmo esse mais forte que o outro, ele me paga no colo e me leva até o sofá. Eu ainda estou com a vista embasada do gozo ele me olha nos olhos e diz:

– Agora vou foder essa buceta gostosa!

Ergue as minhas maos e puxa minha camisa pela cabeça, olha com fome para o meu sutiã de renda e se ergue da cama e começa a tirar sua roupa.

Me levanto quero ajudar e falo:

-deixa isso comigo.

Levanto sua blusa de malha, e sinto todo seu peito, passo a mão e as unhas, beijo lambo e mordo, vou descendo até sua calça, ele já tirou o sapato e a meia, abro olhando bem dentro dos seus olhos, estou louca para sentir seu gosto, deixo a calça cair e olha a ereção na cueca boxe, a ponta do seu pai já molhando ele me deseja, merece um presente, abaixo com os dentes e os dedos a cueca, a sua ereção pula para fora da cueca e fica na altura certa para eu poder me divertir, mas antes, passo a mão pela suas pernas e começo a subir, sentindo todos os seus pelos se arrepiarem, apertei suas bolas, e as coloquei na minha boca, ele gemeu, chupei olhando suas reações, adoro, ele segurou meus cabelos com vontade e me falou:

– chupa minhas bolas minha safada, chupa o meu pau minha putinha.


21 maneiras de fazer o melhor sexo oral da vida dele

Tentei me masturbar enquanto meu parceiro assistia – Sabe o que aconteceu?

Será que mulheres podem ejacular?


Coloquei as duas mãos na sua ereção e comecei a mexer, pressionando com um pouco de força, até que passei a língua na glande, molhada, salgada. Gostoso. Coloquei ele na minha boca e o levei até a minha garganta, quase engasgando, molhei seu pau todo, voltei com a ponta dos dentes roçando levemente na ida e chupando com vontade na volta, vejo que o aperto no meu cabelo aumenta, seu corpo se contorce, mas ele parece controlado, me olha e empurra a minha cabeça para que eu vá mais fundo, num urro e um gemido rouco ele me puxa e me joga na cama, arranca o meu sutiã com maestria, e começa a chupar meus seios e morder, com os joelhos abre minha pernas, e passa a cabeça do seu pau pela minha buceta que já está encharcada, eu já não aguento mais.

– me come, enfia esse pau em mim, não aguento mais…

– é minha putinha você não aguenta mais?? Sinto ele se afastar um pouco e por a camisinha, sem que eu espere ele me penetra com força até o fundo, solto um grito e ele sorri safado para mim, sai devagar e volta a me socar de novo, e continua essa agonia, a cada investida eu grito cada vez mais forte. É uma delicia, ele me olha, em cada investida, me beija, morde meus lábios, passa a mão no meu corpo todo, acho que já arranhei, todos os lugares possíveis, sinto seu pau pulsar dentro de mim, sinto que vou gozar também. Falo:

– me come se quatro? Ele sem nem titubear me vira, dá um tapa na minha bunda, que encharca minhas pernas e seu pau, puxa o meu cabelo e começa a me comer com força, rápido, me puxa e me levanta, uma mão no meu cabelo me leva até sua boca que chupa meus lábios com vontade, com a outra mão desse até meu clitores e começa a friccionar, rápido, com vontade, já não estou aguentando e digo;

– vou gozar de novo…

– vem minha gostosa, vou explodir dentro de você!

E já não aguentando mais ele belisca o meu clitores e eu tremo o corpo todo e sinto o pau dele vibrar dentro de mim, aperto seu pau com minha buceta gulosa, quero tudo, ele geme no meu ouvido. Nada me deixa mais satisfeita do que saber que eu proporcionei isso.

Caímos os dois na cama, suados, com a respiração acelerada e uma cara de satisfação que sei que não tenho a muito tempo. Estendo a mão para ele e digo:

– prazer Cacau. Ele sorri, um sorriso lindo e responde:

– prazer Cacau. Rafael. E fecha os olhos. Sinto que ele cai num sono gostoso, me levanto, limpo o que posso com o lençol, visto minha roupa, pego minha bolsa e deixo um bilhetinho.

“Rafael obrigada pelo final de noite perfeita”

Saio devagar, aviso ao segurança para acorda-lo daqui a dez minutos, dou uma nota de 50 reais para ele ser discreto e acorda-li com carinho.

Saio e pego um táxi.

A vida não vai ser fácil, eu sei, mas essa noite ninguém vai tirar de mim.

Enviado por uma seguidora do Sexo Falado

O que você acha?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Na boate (parte 1)

Psicóloga dá dicas de como apimentar relacionamentos mornos